terça-feira, 9 de janeiro de 2018

Aniversário e surpresa para o Leonardo - sábado e domingo

Leonardo fez aniversário dia 18 de dezembro, que caiu numa segunda. Há tempos eu perguntava o que ele ia querer fazer no aniversário e ele não respondia. 
Esperei um pouco e comecei a colocar meu plano em ação: fazer uma festa surpresa para ele. Adoro organizar, ou "tramar" festas surpresas e não é de hoje! rererere Esta foi a segunda que organizei para o Leonardo, a primeira foi em Três Coroas, em 2015. É óbvio que tinha que ter caiaque no meio das duas! 
Combinei com Stella e Piccoli que eles viriam passar o findi conosco, há horas que estavam nos devendo uma visita! A ideia era manter o Leonardo em casa. Se não tivesse ninguém aqui, provavelmente ele marcaria alguma remada fora.
Findi marcado com o casal, como chamo Stella e Piccoli, criei um grupo no whats para tramarmos bem direitinho o plano "diabólico" e fui convidando alguns amigos de fé, remadores e não remadores. Eu sabia que muita gente não poderia vir, afinal, era quase véspera de Natal.
Lá pelas tantas, Leonardo me perguntou se eu me importava que ele convidasse o seu Pedro para vir no findi também, pois seu Pedro havia se oferecido para ajudar no conserto do telhado, que estava com parte destalhada há meses! Claro que não! Então, o Leonardo sabia que no sábado viria o casal com os gêmeos Marcos e Diego, e mais o seu Pedro. O que ele não sabia, é o que estava para acontecer no domingo...

 Sábado - 16/12

 Seu Pedro veio de Camaquã com a sua Rural-casa. Seu Pedro é mecânico e ele mesmo deixou esta Rural "nos trinques" e pronta para virar cama quando necessário.
 O sábado estava muito quente e pediu um banho de rio de tarde. Foram todos para a água!
Alguns de caiaque, alguns sem caiaque e...
 ... alguns de bóia! Olha o Tombinho de colete salva-vidas!!! Sim! Ele também foi para a água!
 O aniversariante brincando com a bóia.
 Todos refrescados, hora de trabalhar e lá foram Leonardo e seu Pedro para cima do telhado.
 Mesmo depois do banho de rio, o calor era grande! Não sei como eles aguentaram ficar lá em cima!
E ficaram até quando deu! E aí, fomos para a hamburgueria de  Osório, o que também havíamos combinado antes. A Hamburgueria À Lenha tem dois tipos de hambúrguer vegetarianos e são bons demais!!!!! 
Ah! O seu Pedro também é vegetariano!
 E eu fui de caipirinha de morango! Amo caipirinha!!!
Eis o meu hambúrguer com bife de lentilha! Bom demais! Mas não estava no meu melhor dia e não consegui comer todo, como de costume. Deve ter sido porque o Leonardo insistiu para que eu tomasse a segunda caipira. Recusei uma vez, recusei duas vezes... mas, já que insiste... tomei duas caipirinhas!! E sozinha! Ninguém tomou um golinho sequer para ajudar! 
Cheguei tchuca em casa e não consegui fazer nada! Caí, quase desmaiada na cama! :)

Domingo - 17/12

O pessoal da Barra do Ribeiro saiu de casa na madrugada, para chegar aqui no horário combinado.
 O amigo Kenneth, tirando a self, veio de Pelotas!!! Dormiu na Barra e trouxe o pessoal de lá. Sem palavras para agradecer!
 O amigo Xirú é fotógrafo de eventos. Ia sair direto de um casamento, na madrugada também! Um amigo ia vir dirigindo para ele, enquanto ele dormia, mas o pneu do carro furou e ele não conseguiu trocar, pois os parafusos trancaram e ele teve que acionar o seguro. Eu sei bem o que é isso, de parafusos de rodas trancarem... o meu caso foi por causa de xixi de cachorro nas rodas... 
Infelizmente, o Xirú só conseguiu resolver o problema de tarde e não pode vir.
E às 6h30 da manhã, o seu Pedro já estava de pé, pronto para subir no telhado e terminar o conserto das telhas. 
Minha ideia era que o pessoal chegasse na hora em que estivéssemos tomando café.
 Mas o serviço demorou bem mais do que pensei e  o pessoal chegou com o Leonardo em cima do telhado ainda.
Mas foi muito legal, mesmo assim!
Na foto acima, o pessoal já na casa nova e o Leonardo em cima do telhado, ainda.
Vou deixar que o Leonardo mesmo conte como foi a surpresa, copiando a mensagem que ele enviou para um conhecido.
"Por aqui foi um dia de uma baita surpresa!
Estava empoleirado em cima do telhado com o seu Pedro, acho que deviam ser nove e meia da manhã,daí vi um carro com caiaque aparecer na estradinha. Pensei "ué, alguém tá indo remar - e é um caiaque oceânico!"
Aí atrás vinha outro carro, e mais outro, e mais outro com reboque cheio de caiaques...
Aí começaram a buzinar sem parar, eu não tava entendendo nada...
Aí o seu Pedro me disse "desce que é pra ti!" e eu ainda tava sem entender muita coisa, até que percebi que deviam ter parado na porteira.
Era uma surpresa de aniversário, uma visita de vário amigos remadores, que legal!!!
Realmente fui pego de surpresa, nem podia imaginar que a Tiane tinha tramado tudo, tinha até um grupo de whats pra combinar tudo!"
Deu certo! Enganamos ele direitinho! rerere
A partir daí, teve gente tirando embrulho de caiaque novinho, esperando pelo seu dono, o Claudio,  desde julho! 
O fabricante do caiaque, que é de São Paulo, deixou o caiaque aqui numa passagem pelo sul e nunca fechava uma data para o Claudio vir.
Apesar do dia meio nublado, estava bem quente e ninguém ficou fora da água!
Pablo fez a Fernanda andar de caiaque a primeira vez na vida!
Piccoli ficou de molho na água com os filhos Marcos e Diego.
Leonardo também ficou um pouco de molho!
A água estava muito boa!
Carlos e o filhinho Arthur se divertiram! Todos de coletes salva-vidas!
Ah... o Cláudio não tinha entrado na água ainda, ficou ajustando o caiaque novo.
Cada um fez o que queria. Uns foram remar mais longe, outros ficaram só tomando banho de rio, ou jogando conversa fora.
Carlos foi embora cedo com a família. O colete do Arthur estragou e eles acharam melhor voltar logo.
Mas a festa continuou!
Até chegar o temporal!
A mãe ligou, uma meia hora antes, avisando do temporal em Porto Alegre. Mesmo sem ter certeza se ele chegaria em Maquiné, começamos a recolher caiaques e tralhas.
O vento foi forte, mas não causou nenhum estrago.
Caiu uma chuvinha, nem tão forte, nem fraquinha...
Ou seja, o temporal perdeu forças no caminho.
Como já era final de tarde, subimos todos para a futura casa nova.
Stella preparou cafezinho para todos e eu subi com os docinhos para cantarmos "Parabéns".

Só curtindo a chuvinha pós-quase temporal!
Depois do café com cuca e docinho, chimarrão!!!
Test-drive da futura casa nova!
Meus agradecimentos a todos os amigos que participaram da festa e da trama, e um agradecimento especial ao seu Pedro que ainda colocou as telhas no lugar para a gente. 
Obrigada Stella, Piccoli, Marcos e Diego, seu Pedro, Pablo, Fernanda, Carlos, esposa e filho Arthur, Claudio, Leonardo Lenzi, Kenneth, Marta, João Vitor, Ramon, Letícia e Xirú!
Hora de pegar a estrada! 
Valeu pessoal!

sexta-feira, 5 de janeiro de 2018

As corruíras

 Uma das coisas que marcou o mês de dezembro, dentro da correria que foram os últimos meses, foi o meu envolvimento com estas pequenas e simpáticas aves, as corruíras. Esta, da primeira foto, que acredito ser a mesma da foto abaixo e que fez ninho na casinha, entrava dentro de casa pelo janelão da sala, onde ela aparece na foto, para catar os insetos. 
As vezes concordo com meu irmão, que chama o Recanto de Jurassic Park, pois aparecem muitos bichos estranhos aqui. Volta e meia acontece uma chuva de insetos, num período da noite, normalmente, entre 21h -22h. São uns bichinhos chatinhos, meio gosmentinhos com asas enormes. Mas é tanto bicho que aparece, que vêm atrás da luz, mas tanto, que o chão fica coberto deles, os potes de água dos cachorros ficam tomados, eles grudam nas janelas, nas teias de areia, ficam por tudo. Éca! Impossível sair na rua quando eles aparecem! 
A maioria destes insetos morrem, mas alguns poucos ficam meio tontos e as corruíras fazem a festa!
 Em dezembro, no começo do mês, um casal de corruíras fez ninho numa das casinhas que colocamos perto da porta da sala. 
No mesmo período, um casal de canarinhos havia feito um ninho dentro de um tênis do Leonardo, que fica pendurado no cabideiro que tem na varanda.
Estava tudo bem e tranquilo, até o dia em que percebemos a pequena corruírinha muito agitada. Fui olhar o que estava acontecendo e ela não se afastou e pulava no chão e no monte de lenhas que temos na varanda. Eis que me deparo com uma enorme cobra verde, acho que são as cobras cipós. Chamei o Leonardo que não ouviu então, peguei uma vassoura e corri com a cobra. A corruíra ficava em volta, gritando e mostrando para mim onde estava a cobra, que se confundia com o verde da grama.
Não demorou muito para a corruíra voltar a gritar e lá estava a cobra, de novo! Desta vez, o Leonardo veio com o pegador de cobras e tentou pegá-la, mas estas cobras são muito ágeis, rápidas e escorregadias! O que mais nos impressionou, foi a reação da corruíra, que ficava em volta do Leonardo, bem pertinho muitas vezes, avisando onde estava a cobra, que se camufla muito bem no meio da grama e das plantas. Nossos olhos humanos não conseguem acompanhar, mas os olhinhos das corruíras não perdiam a cobra de vista! Impressionante!
 Deste dia em diante, foram várias tentativas de ataque de cobras verdes. Esta maior sumiu por um tempo depois do embate com o Leonardo, mas mandou as filhas, uma menor e outra menor ainda, para ver se a gente se comovia e deixava elas atacarem os ninhos. Nem pensar! Elas que aprendam a comer capim! Os meus ninhos elas não atacam! E as corruíras sabiam que podiam contar com a gente, pois começavam a gritar na porta da sala para chamar a nossa atenção, cada vez que as cobras apareciam. E a gente tentava pegar as cobras e a corruírinha ia nos dizendo onde ela estava. 
As cobras tentavam atacar o ninho dos canarinhos, no tênis, e o ninho das corruíras, na casinha, mas era sempre a corruíra quem nos avisava, fosse de que lado fosse o ataque.
Se observarem bem na foto acima, tem dois canarinhos, um em cima de um tênis e o outro na parede, bem no meio da foto.São os dois filhotes de canarinhos, no dia em que deixaram o ninho. Foi numa manhã de sábado.

 O canarinho do tênis voou rapidinho, já o da parede estava mais assustado e demorou um pouco mais. Fiquei a manhã toda acompanhando de longe, a movimentação dos pais e dos filhotes, neste dia tão importante para eles. 
E eles voaram e o Leonardo tirou os tênis da parede. Agora, tínhamos que cuidar apenas das corruíras da casinha.
Infelizmente, numa das minhas subidas pelo pátio, quando voltei, peguei a cobrinha em volta da casinha com um filhote na boca. Fiquei arrasada! Mas logo descobri que havia outro filhote, pois o casal continuou levando comida para o ninho.
E chegou o Natal e passaríamos o dia 24 e 25 fora, e eu preocupada com o ninho. Pensei, pensei e, com a ajuda do Leonardo, prendemos estes pedaços de papelão na parede, para tentar impedir o ataque da esfomeada cobrinha. 
E deu certo pois, nos dias seguintes descobrimos dois biquinhos dentro da casinha, ou seja, eram três filhotinhos! Não consegui fotografar, mas a cena era muito engraçada! Não tinha ninguém perto da casinha, mas os bichinhos ficavam com os biquinhos abertos esperando o pai e a mãe trazerem comida.
 Nesta semana os bichinhos começaram a ficar impacientes e ficavam assim, com meio corpo para fora da casinha. Foram uns dois dias assim, até que ontem, voaram!
Não consegui ver se ainda tinha os dois no ninho, mas acredito que sim. Também não vi quando deixaram a casinha, como acompanhei os canarinhos. Eles devem ter voado de manhã bem cedo, pois quando comecei a função de alimentar a bicharada, já não tinha mais ninguém. 
Mas acompanhei os primeiros cuidados dos pais, pois eles apareceram perto da porta da sala, onde os pais costumavam ficar, e depois vi que estavam no limoeiro, perto da casa também. 
Valeu à pena o tempo investido no cuidado aos ninhos! Muitas vezes eu estava cozinhando, ou pintando as caixas de Natal, e largava tudo para correr com a cobra. 
Leonardo trocou o cabideiro da parede e colocou os tênis de volta. No outro dia, já tinha canarinho fazendo ninho... os cuidados continuam...
O Leonardo fica argumentando que a cobra também precisa se alimentar, mas já disse e repito, elas que vão caçar longe de mim! Ninho meu elas não atacam! Que virem vegetarianas como eu! :)

terça-feira, 2 de janeiro de 2018

Voltamos!!!!!

Não é milagre de Natal!!! Voltei sem milagre mesmo! 
Os últimos meses foram uma correria e nem com o computador novo, que chegou em novembro ainda, consegui fazer mais postagens. Além do computador novo, tem várias outras novidades, que vou tentar contar nos próximos dias. 
Foto de Natal na casa da mamis e papis.

Vou postar algumas, das muitas fotos que tirei, fotos simples, sem muito o que dizer, e fotos que dizem e ilustram coisas, como o andamento da casa nova.Vamos ver se consigo publicar tudo aqui. 
 Esta corruíra é uma das coisas que quero contar. 
Estamos tendo um caso há várias semanas, acho que faz um mês, e estou cada dia mais apaixonada por ela e seu companheiro. Ou por ele e sua companheira... :)
Aqui também tem coisa história para contar!
Então, até logo mais! Enquanto Tombinho descansa na rede e fica cuidando a vida dos vizinhos da casa da praia da vó Sonja, vou tentando colocar as visitas aos blogs amigos em dia.
E um excelente 2018 a todos!